Cicloturismo na Serra da Canastra

Caminho repleto de cachoeiras

Durante a Páscoa, viajei com mais cinco amigos para o Parque Nacional da Serra da Canastra, uma reserva montanhosa e quente repleta de cachoeiras fantásticas. Ajeitamos barracas e sacos de dormir nos bagageiros das bicicletas, compramos frutas no mercadinho de São Roque de Minas, um queijo “canastra”, goiabada, frutas secas, castanhas e sementes, e partimos para explorar a região. As subidas e descidas são constantes e repletas de pedras – o que torna necessário levar câmaras de ar reserva, ter peças básicas e saber pelo menos um básico de manutenção para eventuais problemas técnicos. Aliás, as subidas constantes e intermináveis, muitas vezes repletas de pedras (que rolam para trás enquanto você fica no mesmo lugar pedalando), exigem bom preparo físico. Mesmo para quem está bem condicionado, aliás, alguns passeios podem demorar mais do que o previsto, o que torna recomendável deixar uma boa lanterna presa no guidão. Roupa de banho, roupas extras leves e uma blusa para noite completam a bagagem necessária. Ao traçar o roteiro vale considerar que não é permitido acampar dentro do parque – nas cercanias, há pousadinhas e casas de moradores simpáticos, uma boa oportunidade de saborear a deliciosa comida mineira e a fantástica hospitalidade local. Em vez de escrever mais, compartilho fotos do passeio. Quem precisar de mais detalhes, tiver dúvidas ou for fazer uma viagem parecida, pode deixar comentários para a troca informações.

Seis amigos em uma das entradas da Canastra

Depois das subidas intermináveis, as vistas são fantásticas

Bastante água é essencial para enfrentar travessias secas e áridas

Uma das bicicletas, com alforges, saco de dormir e um isolante térmico

Cachoeira Capão Forro

Muuuuuuuuuuu

Descida cheia de pedras escorregadias

Subida chata

Lama, buraco e pedrinhas (rock´n roll!)

Pedrinhas na curva!

Nas subidas, a mesma coisa

Nascente do Rio São Francisco

Horizonte incrível

Decidindo caminhos...

Que visual!

Começo da trilha mais difícil: ladeira de pedras!

Rock´n roll!

Caminho íngrime e escorregadio...

... que termina nessa trilha. Como assim que trilha?

Poço na pousada do seu Rafael, na parte baixa, fora do Parque

Em alguns trechos, é preciso levar a bike nas costas

Cachoeira Casca d´anta!

Mais subida

Mais subida com sol

Pausa para respirar

Levantou poeira

Anúncios

13 Responses to “Cicloturismo na Serra da Canastra”


  1. 1 Macalé 28/04/2011 às 12:16 am

    Alucinante. Valeu a companhia e as risadas sinceras

    • 2 Rívia Greice Gregório 30/04/2011 às 12:18 am

      Bsbei de inveja…
      Minhas pernas e braços estão coçando pra voltar pro pedal, porém, tô, assim, meio fora do Grupo Rebas (que pra mim não é bem um Grupo).
      Mas, da próxima vez ou no próximo pedal que vocês armarem, eu gostaria imensamente de estar dentro, isto é, caso vocês me aceitem.

      Forte abraço

      Rívia Greice Gregório

  2. 3 lulu 22/06/2011 às 1:31 pm

    Oi Daniel,
    Tenho muita vontade de ir para Serra do Canastra por 4 dias. Mas seria para fazer caminhadas mesmo. Estou pensando em ir de ônibus até sao Roque e acampar por lá por 3 dias. Vc acha que nesse período dá para eu ver a nascente e a cachoeira casca d’anta? Além de algumas outras cachoeiras?

    Mal te perguntar isso, mas entrei em blogs e sites, mas nenhuma me dá uma precisão. Talvez vc possa ter uma maior noção disso. Não sei se conseguiria aproveitar em 3 ou dois dias e meio. Mas é o tempo que possuo… =/

    • 4 Daniel Santini 22/06/2011 às 3:12 pm

      Oi, Lulu,

      Quatro dias é um pouco apertado, mas dá para dar uma volta pela Serra da Canastra sim. Eu, quando fiz essa viagem, foi em um feriado de quatro dias também. Só se informe sobre roteiros e alternativas para se deslocar lá dentro. De bike já é bastante inóspito, imagino tentar atravessar o parque caminhando. As distâncias são grandes, tem muuuuita subida e descida e não pode acampar dentro da área de reserva. Pode ser que consiga caronas para se deslocar por lá (tem muita gente de carro e 4×4 nos feriados), mas não é garantido.

      Outra coisa. Da nascente da Casca d´Anta tem que reservar com o Ibama para fazer a trilha para a parte baixa. Eles disponibilizam um guia e ajudam, já que a trilha é considerada de dificuldade extrema. Só que tem que agendar com antecedência e, se não me engano, não fazem em feriados.

      Enfim, o lugar é lindo e vale o passeio, mas não é tão fácil. Se eu puder ajudar mais, escreve!

      Santini

  3. 5 lulu 22/06/2011 às 1:32 pm

    ah e nada a ver com esse assunto. Checa essa iniciativa!
    http://vivaaroda.blogspot.com/

  4. 6 lulu 22/06/2011 às 3:41 pm

    Valeu pela rápida resposta!
    Então, minha idéia é ir semana que vem. Ainda não sei que dias. Vcs foram de bike ou de ônibus até São Roque de Minas?
    Eu já vi em dois sites os horários de ônibus, mas o telefone disponível de São Paulo está incorreto. E por zica, hj o site passagem a domicilio está dando pau, então não tenho certeza sobre essas infos…
    E outra dúvida, vc por acaso sabe aonde eu consigo o telefone pu email para entrar em contato com o Ibama? (obrigada por essa dica a mais!)

    • 7 Daniel Santini 22/06/2011 às 4:10 pm

      Fomos de carro até São Roque e, dentro do parque rodamos só de bicicleta. O roteiro acabou sendo um tanto quanto confuso e a gente pegou algumas furadas, tendo que pedalar longas distâncias, varando parte da noite percorrendo o parque e atravessando rotas bem difíceis (carrapatos + subidas x lama + calor). Na época, pesquisei também informações sobre ônibus, mas não encontrei. Contato do Ibama local:

      Ibama
      Rua Mal. Floriano Peixoto s/n
      São Roque de Minas
      Tel (37) 3433-1195

      Depois conta para gente se a viagem deu certo!

  5. 8 Paulo Henrique da Silva 30/08/2011 às 10:51 pm

    Oi daniel, e igual eu estou querendo ir de moto com mais uns amigos meus e ir um carro daqui tambem, só que nos queremos chegar em baixo da cachoeira certo. Aí agente está pretendendo ir ate piumhi e de la agente ver por onde irmos entende? vc sabe qual o caminho e que cidade temos qe passar??
    nós somos de iguatama e pretendemos ficar 2 dias somente. dá pra curtir tbem neh.
    abraçãoo Paulin

    • 9 Daniel Santini 06/09/2011 às 5:10 pm

      Oi Paulinho,

      Saindo de Iguatama, se não me engano, você tem que seguir até São Roque de Minas, depois virar em direção a Vargem Bonita e São José do Barreiro. Tente confirmar antes de sair, não lembro se é exatamente isso. Dá para ficar uns dois dias sim, ainda mais considerando que a viagem para vocês não é tão longa. Procure algumas pousadinhas nas cidades pequenas, converse com as pessoas, coma o queijo canastra e aproveite as cachoeiras, meu caro!

      Um abraço e perdão pela demora nesta resposta,

      santini

  6. 10 lulu 09/09/2011 às 9:29 am

    Oi Daniel,
    lulu aqui de novo, só que com um assunto diferente.
    Primeiro, muito legal te conheer na bicicletada!

    agora, eu to pensando em comprar uma bike redobrável. Qual é a melhor?
    que maras e que estilo devo confiar?

    Brigadão, lu

    • 11 Daniel Santini 04/10/2011 às 7:38 pm

      Lu,

      Desculpa pela demora na resposta. Vou publicar algo sobre dobráveis em breve e prometo te avisar quando sair. Tenho que pesquisar um pouco mais e quero conversar com mais gente antes de dar pitacos a respeito.

      Beijão,

      santini

  7. 12 Karina Morais 03/10/2011 às 5:41 pm

    Boa tarde.

    Vocês sabe o telefone de contato da casa que tem lá na cachoeira do capão forro?

    karina

    krina@izatravel.com.br


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Os autores

Daniel Santini é jornalista, tem 31 anos e pedala uma bicicleta vermelha em São Paulo. Também colaboram no blog Gisele Brito e Thiago Benicchio.

Junte-se a 54 outros seguidores

abril 2011
S T Q Q S S D
« mar   maio »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Dica de leitura

compartilhe ideias

Quando uma cidade congestiona é preciso pensar alternativas de trânsito; discutir, dividir caminhos e dialogar. Ocupe este espaço.

Creative Commons License

outras vias no twitter

((o))eco no twitter

((o))ecocidades no twitter

  • Copa do Mundo das áreas protegidas: México. No campo da preservação da natureza os mexicanos jogam bonito. ow.ly/y7eYh 3 years ago
  • Copa do Mundo das áreas protegidas: Irã. Com 1 vitória em Copas, também não vai bem se o assunto é áreas protegidas. ow.ly/y47GD 3 years ago
  • No centro das políticas ambientais brasileiras está o MMA. Entenda qual o seu papel. ow.ly/y47CM 3 years ago
  • Relatório indica lacunas no monitoramento de qualidade do ar. População tem pouca informação sobre emissões. ow.ly/xOLbG 3 years ago
  • Livro mostra como usar integralmente os alimentos e incentiva a redução do lixo orgânico residencial. ow.ly/xGVz6 3 years ago

%d blogueiros gostam disto: