Arquivo de março \30\UTC 2011

Imagens (s)em movimento

Dois videos, duas formas de se locomover pela cidade:

Ato-debate: o transporte público em questão

arte: Carlos Latuff

Desde o começo do ano, cidadãos paulistanos têm saído às ruas semanalmente para protestar contra o aumento da tarifa de ônibus na capital. Toda quinta-feira, os atos convocados pelo Comitê de Luta Contra o Aumento e pelo Movimento Passe Livre vem mobilizando milhares de pessoas.

Hoje, terça-feira (29), às 18h, o Comitê promove um ato-debate no anfiteatro da faculdade de História da USP para avaliar o movimento e planejar os próximos passos.

Em janeiro deste ano, a prefeitura aumentou em 11,11% o valor cobrado nos coletivos e a tarifa subiu de R$ 2,70 para R$ 3,00. O índice é quase o dobro da inflação acumulada em 2010 (5,9%). O aumento de 2011 foi o terceiro da gestão Gilberto Kassab.

Além das manifestações de rua, os militantes do MPL realizam protestos em eventos que fazem parte da agenda do prefeito, como o lançamento do novo partido criado por Kassab, o PSD, ou uma visita do prefeito a um evento do setor imobiliário em Paris (França).

Na última quinta-feira (24), a Justiça de São Paulo determinou que a Prefeitura explique o aumento da tarifa no prazo de dez dias. O pedido foi feito por vereadores do PT, que alegam falhas nas planilhas apresentadas pelo Executivo para justificar o reajuste.

O estímulo ao transporte público é uma das formas de reduzir o congestionamento e ampliar a mobilidade urbana na cidade. A prática de preços proibitivos e a falta de investimentos em corredores exclusivos e na qualidade do transporte empurra os cidadãos para o transporte individual, degradando a cidade e as condições de vida da população.

Vá de Bike e Blog do Sakamoto concorrem a prêmio internacional

"Carrofaixa" / autor desconhecido

O blog Vá de Bike foi selecionado pelo juri do concurso The BOBs (“best of blogs”) entre centenas de indicados e está concorrendo na categoria de “Melhor blog em português”.

A premiação, realizada pela agência de notícias alemã Deutsche Welle, acontece há sete anos e é uma das mais conceituadas em todo o mundo. Nas 17 categorias em disputa estão trabalhos que demonstram relevância e qualidade em diversas áreas e idiomas.

Em 2006, o blog Apocalipse Motorizado recebeu o prêmio do juri. Este ano, o Vá de Bike foi selecionado junto com outros 10 finalistas para a escolha dos internautas.

No ar desde 2002, o Vá de Bike é hoje um dos melhores canais de informação sobre a mobilidade por bicicletas em São Paulo.

Mantido pelo analista de sistemas Willian Cruz, o Vá de Bike se destaca pela pertinência dos temas abordados, pela alta qualidade dos textos e pelo acompanhamento permanente das políticas e iniciativas relacionadas à mobilidade inteligente.

Se você não conhece o trabalho, vale a visita.

Se você conhece, vale o voto.

Para votar, é necessário visitar a página do concurso e fazer o login utilizando a sua conta no Twitter ou Facebook.

Depois é só escolher a categoria “Best Blog Portuguese” e votar no Vá de Bike.

A votação vai até o dia 11 de abril. É possível (e importante) votar novamente a cada 24 horas.

Outros temas
Outro blog bastante competente em sua área é o Blog do Sakamoto, mantido pelo jornalista e doutor em Ciência Política Leonardo Sakamoto.

Concorrendo na categoria “Special Topic Award Human Rights”, o Blog do Sakamoto aborda “direitos humanos, trabalho decente e meio ambiente” desde 2006.

Saudações aos parceiros de jornada, parabéns pelo excelente trabalho e obrigado pela contribuição para um mundo melhor e uma mídia mais decente.

Página do concurso
Texto no vá de bike sobre a votação
Blog do Sakamoto

Jogos de bicicleta

Esconde-esconde, amarelinha, pega-pega, monstro coscão… Monstro coscão? Pois este é o nome de uma das brincadeiras ensinadas no folheto “6 Jogos de Bicicleta – treinamento divertido para todas as crianças”, produzido pela Federação dos Ciclistas Dinamarqueses e traduzido pela Associação Transporte Ativo.

Os jogos, indicados para crianças a partir dos 2 anos, estimulam as habilidades dos pequenos com as magrelas, são divertidos e promovem a atividade física.

Numa era onde o interior de carros, apartamentos ou shopping centers começa a se tornar paisagem quase que exclusiva para um número cada vez maior de crianças, atividades ao ar livre se tornam ainda mais importantes.

A utilização de bicicletas desde criança prepara os pequenos cidadãos para o futuro, despertando o gosto pela locomoção sobre duas rodas e nenhum motor.

“Uma vez que você descobre a liberdade que andar de bicicleta lhe dá e a facilidade de ir e vir, você se torna um ciclista para toda a vida.”, define o embaixador dinamarques Birger Riis-Jørgensen no blog da Transporte Ativo.

O folheto 6 Jogos de Bicicleta não é a primeira publicação da Transporte Ativo dedicada às crianças. A seção Transporte Ativo na Escola traz informações pedagógicas, sugestões de jogos e outras publicações feitas para crianças, pais e professores.

Vale a pena dar uma olhada, por exemplo, no livro Crianças em Movimento ou ler o belíssimo O Passeio de Fleur, capaz de emocionar e ensinar pessoas de todas as idades.

Sem pudor de mudar o mundo

foto: Santiago Luz

No último sábado (12), mais de duas centenas de pessoas participaram da quarta edição da Pedalada Pelada em São Paulo. Esta foi a primeira edição noturna do evento e também a primeira marcada exclusivamente pelo sorriso e pelos aplausos da população que viu o alegre cortejo passar.

Nas edições anteriores, a presença ostensiva da polícia (disposta a impedir a nudez) e da mídia (disposta a sexualizar a nudez) transformaram o passeio-manifestação em um jogo de gato e rato, com pessoas detidas e um clima de constrangimento sensacionalista que ficou bem longe das ruas em 2011.

foto: cc Ian Thomaz

Mistura de celebração e protesto, a World Naked Bike Ride (Pedalada Pelada Mundial) acontece uma vez por ano em diversas cidades. Começou em 2004, na Espanha e no Canadá, como forma de protesto contra a dependência por petróleo. Depois, se espalhou pelo mundo, ganhando contornos diversos em cada lugar.

Em São Paulo, a festa dos corpos nus, vestidos com roupas de banho ou decorados por pinturas coloridas, chama atenção para a “exposição indecente ao trânsito” de pedestres, cadeirantes, ciclistas e passageiros do transporte público, sujeitos à péssimas e perigosas condições de locomoção na cidade.

foto: Anderson Barbosa

Por volta das 20h do último sábado, a população se aglomerava nas calçadas da Av. Paulista. Câmeras, celulares e sorrisos apontados para os ciclistas com os corpos pintados.

Aplausos e palavras de apoio ainda pipocavam aqui e ali quando as primeiras bicicletas começaram a dar voltas em torno da praça. Aos poucos, a massa estava formada e começava a fluir pela avenida.

Enquanto os ciclistas seguiam em direção ao Paraíso, motoristas que participavam do congestionamento no sentido Consolação olhavam com admiração para o outro lado da avenida.

foto: cc Ian Thomaz

De um lado da rua, ciclistas se moviam de maneira fluida e ocupavam o espaço de maneira inteligente em uma ação direta para melhorar a realidade. Do outro lado da rua, carros e ônibus praticamente parados no congestionamento causado pelo excesso de carros.

No meio da massa, alguém grita “trânsito obsceno”. A frase, que sintetizava a paisagem da avenida naquele momento, começa a ser entoada pela multidão pelada e vira um bordão recorrente durante o percurso. Seria repetida em congestionamentos na av. Brasil e na rua Mourato Coelho, onde carros estacionados dos dois lados da via se somavam aos carros praticamente estacionados nas faixas de rolamento e causavam uma sensação claustrofóbica que já se tornou “normal” para os motoristas paulistanos.

foto: Santiago Luz

Não é preciso ser muito empolgado para se divertir com um grupo de ciclistas coloridos, festivos e alegres. A Pedalada Pelada, assim como as bicicletadas que acontecem na última sexta-feira do mês, demonstram ao vivo uma possibilidade bem mais interessante de ocupação das ruas do que o congestionamento agressivo e barulhento de carros com uma pessoa dentro.

Não é preciso ser muito esperto para entender que os ciclistas reivindicam melhores condições de circulação nas ruas. A mensagem é obvia e, em 2011, ficou mais clara ainda por conta do incidente em Porto Alegre, quando um motorista atropelou intencionalmente dezenas de ciclistas durante uma bicicletada.

foto: Santiago Luz

Munidos de símbolos, imagens, panfletos e frases, os ciclistas da Pedalada Pelada espalharam de maneira alegre a mensagem: é possível e necessário compartilhar o espaço e conviver nas ruas.

A simpatia da população foi ampla, geral e irrestrita: pessoas de todas as idades, classes sociais, crenças ou religiões aplaudiam a massa pelada durante o trajeto. Uma pesquisa rápida no twitter por “ciclistas pelados” ou “pedalada pelada” comprova a ideia de que a população paulistana quer mais (e não menos) eventos que tragam alegria e propaguem a convivência.

foto: Santiago Luz

A nudez exibida durante a Pedalada Pelada não tem nada de obscena e está longe de ter qualquer caráter sexual. Os corpos dos ciclistas tinham formas e tipos variados.

Corpos normais, de pessoas normais. Gordos ou magros, peludos ou pelados: padrões distantes daqueles expostos e impostos sexualmente pela mídia, inclusive em programas destinados ao público infantil.

foto: Santiago Luz

Durante algumas horas da noite de sábado, o falso moralismo brasileiro parece ter sucumbido à alegria genuína de seres humanos íntegros e inteiros, que querem apenas andar de bicicleta e conviver pacificamente com os outros seres e com o planeta.

A cena de um “carnaval para Jesus” encontrando a Pedalada Pelada na rua Augusta, bem na frente de um carro de polícia, vai ficar na memória de quem viu.

foto: Santiago Luz

A coexistência necessária para a sobrevivência de uma sociedade e a tolerância exigida em uma cidade cosmopolita, por alguns instantes, se tornaram reais naquela noite de sábado. Sem dúvida, a Pedalada Pelada 2011 trouxe a linha do horizonte um pouco mais para perto.

Leia também:

WNRB 2011: ser, ter fazer – As bicicletas

Pedalada Pelada do jeitinho que a gente gosta – FelizCidade Feliz

O sucesso da quarta edição do WNBR em SP – Renata Falzoni

Mais de 200 ciclistas participam da Pedalada Pelada em SP – Folha.com

Veja também os vídeos do @opalmas e do JP Amaral

Ou visite o clipping da Pedalada Pelada 2011 no wiki do World Naked Bike Ride

A triste carnificina de carnaval

instalação no viaduto Dr. Arnaldo em 09/03/2011 / foto: Diego Ferrari

Segundo relatório divulgado pela Polícia Rodoviária Federal, 213 pessoas morreram e 2.441 ficaram feridas em estradas federais durante o carnaval.

O número de mortos em rodovias federais foi 47,9% maior do que em 2010. No carnaval deste ano, houve 1 morto para cada 19 incidentes envolvendo veículos motorizados.

A estatística não contabiliza os incidentes em rodovias estaduais ou nas áreas urbanas. Não é difícil estimar que por volta de 1000 pessoas perderam a vida em estradas, ruas e avenidas brasileiras durante a folia. Outras tantas passarão a carregar sequelas permanentes dos ferimentos.

Imprudência e alta velocidade são, quase sempre, as razões dos incidentes rodoviários.

A “falha humana”, no entanto, não é simples expressão do acaso: o país que literalmente destruiu sua malha ferroviária em pouco mais de meio século agora colhe os frutos de uma política rodoviarista que continua a vigorar.

Não é sensato que um país com dimensões continentais tenha como principal meio de transporte de pessoas e cargas os automóveis, ônibus e caminhões. Não é racional que tenhamos hoje uma malha ferroviária menor do que há 50 anos.

Se a reversão do quadro de imobilidade urbana, congestionamento e poluição depende da priorização de ônibus, metrô, bondes, trens, calçadas, bicicletas em detrimento do automóvel, a diminuição da carnificina que se repete a cada feriado depende fundamentalmente do resgate dos trens (de cargas e passageiros) e da implementação de hidrovias.

Continuar investindo em rodovias não tornará nossas rodovias mais seguras. O investimento na melhora das condições para ônibus, carros e motos é importante, mas não deve se sobrepor à busca por alternativas mais seguras e racionais de transporte.

Mortes por homicídios e em transportes no Brasil – Panóptico

Dois sites sobre transporte ferroviário:

Estações Ferroviárias

Ferrovias do Brasil

Manifestações e arte contra a barbárie

arte: Gabriel Almeida / POA 2502

Nesta quarta-feira de cinzas, a partir das 19h, acontece em São Paulo o lançamento da revista digital POA 2502, que reúne trabalhos de 30 artistas sobre o atropelamento de ciclistas em Porto Alegre.

A publicação, que foi realizada inteiramente com softwares livres, pode ser baixada neste link.

O lançamento, seguido de bate-papo, acontece na Praça do Ciclista (av. Paulista X Consolação).

Na semana que antecedeu o carnaval, dezenas de manifestações de solidariedadeaos ciclistas de Porto Alegre reuniram milhares de ciclistas ao redor do planeta.

O blog Vá de Bike coletou alguns relatos nesta postagem. Veja também o clipping de notícias sobre o caso neste link.


Os autores

Daniel Santini é jornalista, tem 31 anos e pedala uma bicicleta vermelha em São Paulo. Também colaboram no blog Gisele Brito e Thiago Benicchio.

Junte-se a 55 outros seguidores

março 2011
S T Q Q S S D
« fev   abr »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Dica de leitura

compartilhe ideias

Quando uma cidade congestiona é preciso pensar alternativas de trânsito; discutir, dividir caminhos e dialogar. Ocupe este espaço.

Creative Commons License

outras vias no twitter

((o))eco no twitter

((o))ecocidades no twitter

  • Copa do Mundo das áreas protegidas: México. No campo da preservação da natureza os mexicanos jogam bonito. ow.ly/y7eYh 2 years ago
  • Copa do Mundo das áreas protegidas: Irã. Com 1 vitória em Copas, também não vai bem se o assunto é áreas protegidas. ow.ly/y47GD 2 years ago
  • No centro das políticas ambientais brasileiras está o MMA. Entenda qual o seu papel. ow.ly/y47CM 2 years ago
  • Relatório indica lacunas no monitoramento de qualidade do ar. População tem pouca informação sobre emissões. ow.ly/xOLbG 2 years ago
  • Livro mostra como usar integralmente os alimentos e incentiva a redução do lixo orgânico residencial. ow.ly/xGVz6 2 years ago

%d blogueiros gostam disto: